Angelus: convite a valorizar o Sacramento do Batismo

12/01/2014 10:48


Cidade do Vaticano (RV) - Após a Santa Missa e o batizado de 32 crianças, o Papa Francisco deixou a Capela Sistina e se dirigiu ao último andar da Residência Apostólica, no Vaticano, para rezar a oração do Angelus, com os numerosos peregrinos, fiéis e turistas, presentes na Praça São Pedro.

Em sua alocução dominical, o Bispo de Roma recordou a festa litúrgica do Batismo do Senhor, ocasião em que administrou o sacramento do Batismo a 32 crianças. E confessou que gosta muito de batizar as crianças. “Toda criança que nasce é um dom de alegria e de esperança; toda criança batizada é um prodígio da fé e uma festa da família cristã.

Citando o Evangelho da liturgia de hoje, o Santo Padre disse que, enquanto João Batista batizava Jesus, “os céus se abriram”, como cumprimento das profecias. E explicou:

Se os céus permanecerem fechados, o nosso horizonte, nesta vida terrena, também é escuro, sem esperança. Ao invés, com a celebração do Natal, a fé nos dá, mais uma vez, a certeza de que os céus se abriram com a vinda de Jesus. No dia do Batismo de Cristo, contemplamos, novamente, os céus abertos”.

A manifestação do Filho de Deus na terra assinala o início de um grande tempo de misericórdia. Não se esqueçam disto, disse o Papa. É um tempo de misericórdia, depois que o pecado fechou os céus, levantando uma barreira entre o ser humano e seu Criador. E o Pontífice acrescentou:

Com o nascimento de Jesus, os céus se abriram! Deus nos deu, em Cristo, a garantia de um amor indestrutível. Desde quando o Verbo se fez carne, todos nós pudemos ver os céus abertos! Temos esta oportunidade se nos deixarmos invadir pelo amor de Deus, que nos é dado, pela primeira vez, pelo Batismo, por meio do Espírito Santo”.

Com o seu Batismo, Jesus recebeu a aprovação do Pai celeste, que o enviou para compartilhar da nossa condição humana, da nossa pobreza. Compartilhar é o verdadeiro modo de amar! Jesus não se dissocia de nós, mas nos considera irmãos, partilha da nossa vida e nos torna filhos de Deus Pai. Eis a revelação e a fonte do verdadeiro amor. E o Papa perguntou:

Vocês não acham que no nosso tempo precisamos de um suplemento de partilha fraterna e de amor? Vocês não acham que precisamos de um suplemento de caridade? Não daquela caridade, que se contenta de uma ajuda improvisada que não produz frutos, que não coloca em jogo, mas daquela que compartilha e arca com os incômodos e os sofrimentos dos irmãos. Quanto é bela a vida quando se deixa inundar pelo amor de Deus!”

Após a oração mariana do Ângelus, o Santo Padre passou a cumprimentar os presentes na Praça São Pedro, de modo particular as famílias e os fiéis das diversas paróquias da Itália e de vários países, como também as associações e os vários grupos.

Enfim, o Papa dirigiu um pensamento todo especial aos pais que estão preparando seus filhos para receberem o Sacramento do Batismo. Unindo-se à alegria dessas famílias, pediu ao Senhor para que a administração deste Sacramento possa ajudar os pais a redescobrirem a beleza da fé e a voltarem a frequentar os Sacramentos e à Comunidade. (MT)



 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!